um pouco do que me interessa

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Tudo pode ter uma dimensão maior



que tudo se foda,
disse ela,
e se fodeu toda

Ela é visceral(sossegue coração
ainda não é agora
a confusão prossegue
sonhos afora
calma calma
logo mais a gente goza
perto do osso
a carne é mais gostosa)

Pega um megafone e fala isso ai:Ela é visceral
Tudo é um vulcão
quando não se há respostas
ou trocas
Tudo tem dimensão maior
se me dás de presente inseguranças
Eu não posso com meus medos
imagina dois juntos

todo dia:isso de querer
ser exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai
nos levar além


Parece que pus um revóler na cabeça dele
e disse:fale!
Não ela não fez
Não há um prédio sendo jogado em você
Só um coração tentando se aproximar com calma
Não precisa vir com armadura
Vem só com um sorriso
Não faz eu encher meu balão de mágoa e solidão
Não faz eu querer esganar uma Larissa
Pega no colo e leva pelo corredor


Ok
eu vou menos
mesmo

Você pediu

Eu vou acreditar no sono
e vou ter a paciência dos Budas
pois, você vale muito a pena
no momento

Enquanto isso eu me divirto e choro sangrando no solo
eu e meus manequins
minha colher
meu saco asfixiante
meu salto alto platinado
minhas idas solitárias com os fones nos ouvidos
meus 20 ensaios pela frente
o max ritcher tocando para a cidade cinza

Como você me faz esquecer, quem já passou pelo meu músculo?
Como você me faz ser forte a ponto de não conseguir dizer e nem chorar

Então você se lambuza de chocolates
e eu compro todos os dias os meus, para suprir algo
e eu combino cinema com seus amigos
e combino de todos sairmos e rirmos
levados pela cerveja e pela chuva que vai pingando devagar e não nos tira da cobertura
e está lá
o céu
vendo jovens tentando dizer
"eu te amo" por um "eu gosto de ti"
mãos que às vezes se pegam
olhares que às vezes se cruzam

E ele diz:que cheiro bom você tem e ela sorri
e eles olham a janela dos outros prédios enquanto ele a abraça por trás

ele diz sorvete e desisti...parece como as desistências comigo

não eu não estou aumentando a quantidade de água no copo ...
talvez não perceba seus atos
mas deixo o livre
com ar de avarento pelas manhãs
eu que sou muito feliz de manhã
como um cavalo em direção ao mar
se quiser vir ,venha
terás afeto

e ela anda sentindo saudade dos amigos que dizem uma cor. enquanto ela quer ouvir outra cor
Mas tudo tem seu tempo
as pessoas tem seus tempos
eu tenho meu tempo
sem dores
por que estou sem esparadrapos em casa

e disse:eu gosto de ti

e eu vou por a cabeça no travesseiro sonho
e tentar
no acreditar
por que nada mudou..ele disse
eu gosto de acreditar

então não choro
caiu muito mar no meu quarto hoje

eu vou lembrar da coca cola
do gato com patas abertas
e vou sorrir

A irmã me deu Lemiski de presente.Ela e seus pequenos carinhos e alertas acolhedores.O que seria eu sem você ,irmã?

quando eu vi você tive uma idéia brilhante
foi como se eu olhasse de dentro de um diamante
e meu olho ganhasse mil faces num só instante
basta um instante
e você tem amor bastante

No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto
a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela — silêncio perpétuo
extinto por lei todo o remorso,
maldito seja que olhas pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais
mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.


3 comentários:

Juliane Bitencourt disse...

bah!...e mais uma vez o silencio se faz...
a lágrima cai...
caimos...
agradecemos então, por ainda ter chão pra nos amparar...
e a vida segue...
que possamos levantar e andar...
sem nunca ter medo de cair novamente!
força pra nós amiga!
fé em deus!
paz ao nosso coração.
beijoooo

Fernanda Guimarães disse...

amei o texto!
mto bom...

petit disse...

eeeeeeeeeeeeee valeuuuuuu