um pouco do que me interessa

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

As duas moças.



Há algum tempo a moça dos abacates e a menina de vestido de vermelho se encontraram.
O que unia as duas era uma tal arte,onde o brilho dos olhos do público enchiam seus corações.As duas falavam a mesma língua e resolveram seguir o mesmo caminho.

Quando a menina de vestido vermelho ainda era pequena,mas pequena mesmo,época que brincava ainda nos balanços das praçinhas,ela se permitia cada fim de semana sonhar.E num dia de sonho viu a moça dos abacates em um lugar sagrado.Sagrado era um chão simpels,envolvido por uma caixa preta se chamava:teatro.
E ai naquele dia a moça de vermelho também quis viver este sonho.

Tempo passou...anos.

E elas se encontraram.

A moças dos abacates plantou um abacateiro,mas os abacates estavam caindo sobre ela e esta não sabia que fazer.
A menina de vermelho corria atrás de algo que fizesse seu coração roxo voltar a pulsar vermelho.

As duas se encontraram e a moça dos abacates foi tentando ensinar "a vida"para a menina.

Um belo dia a moça de vermelho conheceu um "menino que corria".

E os dois resolveram correr.Corriam atrás de uma placa chamada felicidade que estava muito perto dos dois,
mas eles tropeçavam ao se aproximarem.No meio dos seus caminhos sempre tinha uma pedra chamada medo.Dizem que era uma das maiores pedras que tinha no mundo.

A moça de vermelho sabia que dentro de um tempo,se não lutasse,o seu caminho estaria preenchido de pedras.Então um belo dia ela parou de correr e cessou a corrida do menino que corria.

Os dois se olharam cansados.E desse olhar surgiu uma pequena luz roxa chamada entrega.

E eles gostaram tanto daquela cor,daquela sensação que ficaram por um bom tempo com ela.

Durante este período a moça dos abacates preocupada com os abacates que caiam sobre ela pediu cautela a moça de vermelho,tinha medo que ela também se machucasse.

A moça não escutou,pediu que deixasse com sua luz.

E o tempo passou.
Até que um dia vendada pelo tempo, a moça de vermelho viu que o menino que corria pôs muitas pedras no caminho,muita,muitas,muitas.
E ela tropeçou .
Então ela pediu ajuda para o menino que corria.Ele não podia ajuda-lá.
Ele sentia que sua vida pedia mais urgência,que seus sentimentos eram mais importantes.Então ele tingiu novamente o coração da moça de roxo e a deixou no meio das pedras lhe dizendo :seja forte!

A moça ficou ali.Parada.E começou a chorar,chorar,chorar.Bateu bem forte as palmas das mãos,por que ela lembrava que o som das palmas a faziam feliz,mas isso não adiantava.E ela perguntava à Deus o que acontecia e se questionava ,se questionava.

E sentada ali ela ficou um bom tempo,dias e noites.Até que um dia um grande espelho apareceu em sua frente e ela se viu.E não se reconheceu.Tamanho susto,ela correu.

Gritando pediu ajuda a moça dos abacates.
Mas a moça dos abacates tentava escapar do que ela mesmo tinha cultivado.

Então nenhuma das duas sabiam como se ajudar.

Em meio a uma conversa as duas discutiram e a moça dos abacates gritou:O meu coração também está em pedaços!

Um grande muro caiu sobre o espaço.
As duas se olharam e estranharam o grande muro.

Esse muro se chamava possiblidade de esperança.

Do outro lado do muro estava o menino que corria com todas as suas pedras gritando "eu talvez possa te amar ,se você mudar"para a moça de vermelho.E também estava do outro lado;crescendo, a árvore de abacates que a moça "tentava "se afastar.

De súbito as duas tentaram escalar o muro e caiam,caiam.

E foram tomadas por uma dor e um sentimento que queimava o coração:a raiva.Desistiram!

Bateram,bateram com as mãos fechadas repetidamente no muro,até machucarem suas mãos;assim viram que não tinha mais nada o que poderiam fazer.

As duas se olharam,se deram um longo abraço e choraram.
E a moça dos abacates só ficara com a lembrança de o quanto cuidou da sua árvore,mas agora era momento de cuidar dela.
E a moça de vermelho continuou a correr deixando as pedras cairem.
Olhou para o céu e bateu as palmas dizendo:Eu sou um cavalo novo,com fogo nas patas que corre em direção ao mar..e ela seguiu para o mar,talvez lá seu coração mude de cor e ela esqueça o menino que corria em direção ao nada.
ps:estou muito triste,,,é a vida.

3 comentários:

Lu Bendati disse...

clap, clap, clap. não adianta fingir que não sente. gente sente tudo. lucinha chora emocionada. emocionada de lindeza. lindo texto minha flor. bóra pro mar, pra que na misturança das lágrimas e da salgada água do mar, nossas energias se reciclem. beijo na tua alma.

Daiane Oliveira disse...

nossa...
lindo tudo!!!
lindas imagens me surgem na cabeça...
triste
lágrimas
meninos q correm para o nada
abacates q caem
palmas q se ouve... vamos correr para o mar!

André Marcelo disse...

Lindo !!!
Linda !!!