um pouco do que me interessa

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Pensando nas estrelas.



Que cheiro de chuva na grama!

eu?trata_se assim tão mal e pior ainda quando nada se fala. quando embarquei em palavras e me apaixonei por outros mundos. aventurei_me a tentar experimentar deixar_me levar porque queria ir onde ainda nunca ninguém me tinha levado. há um mundo de estrelas que não sei apagar. um caminho de nuvens por pisar. mares por nadar. lagos por afogar. mas disseste_me " a lua que espere nesses lugares".

Últimos dias no "novo lar".Amanhã estranhara as vozes na casa.
Tirou novas fotos de seu rosto.Constatou que por mais maquiagem que se ponha ,seu rosto com o tempo fica mais jovem.
Conversou sozinha pela casa.
Escutou "Barbara" e se apaixonou pela entrega nas notas do piano e na sua voz forte.
"Yo nó sei decir"te quiero"
no sé ,no sé
Yo no puedo decir "te quiero"
nó puedo,nó puedo
Lo he dicho tantas veces en broma
Que ya no puedo reir esas dos palabras
Y hoy que quiero decirlas en serio,
no me atrevo,no me atrevo.
Toco,entonces ,esta musica
que mejor que yo te lo dirá..."
( Je ne sais pas dire- ai os franceses me tocam!)

Acordou tomada de saudade.Uma saudade apertada.
Trocando canais da tv,deteve seu olhar sobre "Adeus, Lênin".
Yan Tiersen sempre em sua trilha sonora de vida.
Ficou com medo de mais perdas.
Sentiu falta da mãe.
Pensou:faria eu tudo pelos que amo?Até inventaria uma ilusão para que os faça feliz?
Chorou no sofá ao acabar o livro que a acompanhava.
Pensou em Cecília e nos seu pensamentos.
Fazia tempo que não se emocionava com os livros.
O poder da palavras,como têm!
Não conseguiu cessar o choro.Será que não esta se cobrando demais para voltar melhor?
Leu no livro:
"Nós enxergamos tudo num espelho ,obscuramente.Às vezes conseguimos espiar através do espelho e ter uma visão de como são as coisas do outro lado.Se conseguissemos ploir mais esse espelho veríamos muito mais coisas.Porém ,não enxergaríamos mais a nós mesmos"
"Todas as estrelas acabam caindo.Mais uma estrela é apenas uma pequenina centelha do grande facho de luz que há no céu"

Pensou nas estrelas e não nas borboletas que tinha dado a algumas pessoas(poucas,3).Pensou por que dava estrelas?
Lembrou da vez que pediu a ele que fechasse os olhos e abrisse uma das mãos.Ao abrir seus olhos viu o sorriso lindo e os olhos que brilhavam(e como brilhavam).Ficou feliz por ter dado o presente.Mas agora ela pensa:o que ele teria feito com a estrela?Em caixas,num fundo de armário,no lixo ou a devolveu para o céu?

Poderia eu dançar todas as músicas que me tocam para ver se "esse" algo pulsante cessa.

"-Si vous donniez un consiel à une femme, que serait-il?
- Aimez.
- À une jeune fille?
- Aimez.
- À une enfant?
- Aimez."

-Mas eu não tenho! disse ela para Edith...arff
Pode ser Platonicienne?

há coisas pessoais mas tão pessoais que por serem especiais não se dizem ,nunca se escrevem e jamais se ouvem. amam_se.


Um comentário:

Oscar disse...

Lindo mesmo...inclusive essa frase "há coisas pessoais mas tão pessoais que por serem especiais não se dizem ,nunca se escrevem e jamais se ouvem. amam_se."

Me deixou pensativo!